Um bairro que é essencial da história de São Paulo!

Muito orgulho em poder ter contribuído para o resgate da história do Brás. Recebi nesta semana, os exemplares do livro “Brás e seus Logradouros”, do jornalista Eduardo Cedeño Martellotta, que traça um paralelo exemplar das origens do meu querido bairro, onde nasci e cresci.

São mais de dois séculos de contribuição para o desenvolvimento socioeconômico de São Paulo. Uma honra fazer parte destas memórias e poder ser uma testemunha ocular de uma rica história de desenvolvimento do bairro em que nasci e fui criado.

Minha relação com o bairro é umbilical e afetiva. Com descendência portuguesa, toda minha família se estabeleceu no bairro no começo do século passado. Morei por muito tempo na rua Xavantes e iniciei meus estudos e minha formação no Externato Santa Catarina, em 1955. Passei depois por alguns dos célebres colégios da região, dentre eles Eduardo Prado, ginásio Frei Paulo Luig e Liceu Acadêmico SP, na rua Oriente. Outro ícone da região, a igreja Santo Antônio do Pari foi local de meu batizado e crisma, casamento de meus pais e diversos familiares e o largo onde meu avô, Antônio Amadeu, foi taxista iniciando suas atividades como profissional do volante em 1934.

Mas temos de ter a consciência de que temos muito a debater para melhorá-lo! Esta é a reflexão que proponho a vocês nestes dois séculos de história de nosso querido bairro. Só a importância comercial e o número de pessoas que circulam diariamente pela região (Estimativas apontam para quase 400 mil pessoas que passam diariamente pelo bairro em épocas festivas) já exige um olhar mais atento da administração pública.

Ao longo de todo estes anos de mandato, eu busquei sempre fazer o melhor para a cidade por meio de minha atuação parlamentar. Projetos de Leis, comissões parlamentares, ofícios, requerimentos e cobranças junto ao poder público, visitas em diversas entidades e locais para monitoramento, enfim, foram várias as atividades que participei ao longo deste período. Sempre pensando em prol da cidade e do cidadão.

Mas temos de deixar claro que só com muito trabalho, participação ativa dos moradores, perseverança e compromisso, nós conseguiremos resgatar nossas origens e nossas raízes, e ao mesmo tempo promover um bairro conectado e desenvolvido aos anseios desta cidade cosmopolita do século 21.

assessoria

Deixe uma resposta