Reunião na Secretaria em busca de melhorias para Saúde Pública Municipal

Estive nesta semana na Secretaria Municipal de Saúde para uma reunião com o secretário Edson Aparecido, e com o reitor da Universidade Nove de Julho – Uninove, José Storópoli, e demais gestores da renomada faculdade paulistana.

Em um encontro para alinhamento de projetos, discutimos parcerias para buscarmos #melhorias e recursos para a #saúde #pública municipal, por meio de convênios com a iniciativa privada. Em tempos de crise econômica e de queda nas receitas, esta é uma das saídas que o poder público deve buscar para melhorar a vida de seu povo nas mais diversas áreas.

Diabetes em Pauta – Também aproveitei para aprofundar com o secretário sobre a ampliação da lei de minha autoria (NÚMERO 15.721/2013), aprovada em 2013, que disponibiliza atendimento multidisciplinar e gratuito aos diabéticos na cidade de São Paulo. O secretário, por sua vez, também repassou uma lista de inaugurações de UPA’s e UBS’s que estão previstas para acontecer nós próximos meses.

Tratamento Inovador – Em uma parceria precursora entre Prefeitura e Uninove, o uso de terapia a laser e com diferentes fontes de luz (também chamado de biofotônica) vem sendo aplicado em alguns hospitais da capital com resultados considerados extremamente satisfatórios no tratamento de pés diabéticos. Diante da repercussão positiva nos pacientes, coloquei-me à disposição para ser um interlocutor em defesa da ampliação do programa na rede pública municipal.

O diabetes é uma doença do metabolismo da glicose causada pela falta ou má absorção de insulina, hormônio produzido pelo pâncreas e cuja função é quebrar as moléculas de glicose para transformá-las em energia, a fim de que seja aproveitada por todas as células.
Pesquisa recente da Organização Mundial de Saúde aponta que quase 9% da população brasileira sofre com a doença. Ou, em números absolutos, cerca de 16 milhões de pessoas. O diabetes tipo 2 é o único que pode ser prevenido e tratado. Para isso, é importante que o portador do problema tenha a devida orientação e tratamento para impedir a evolução da doença.

E para isso, o diabético precisa da atenção de diversos especialistas. Além do acompanhamento clínico especializado, precisa ter informações sobre nutrição; acesso a atividades físicas, acompanhamento psicológico e de outros profissionais especializados na doença. Foi pensando nisso que aprovei a lei que garante o atendimento multidisciplinar aos portadores da doença.

O programa multidisciplinar inclui uma combinação de atendimentos especializados de médicos, enfermeiros, nutricionistas, farmacêuticos, educadores físicos, fisioterapeutas, psicólogos e outros promotores de saúde. Trabalhando em conjunto com os quesitos educação e saúde, isso garante um tratamento nutricional e monitoramento da glicemia para a prevenção, tratamento e controle do diabetes.

O modelo fez tanto sucesso em São Paulo que outras cidades também aprovaram leis de conteúdo semelhantes. Educar em diabetes é um processo ativo e contínuo através do qual profissionais, pacientes e familiares aprendem sobre o diabetes para a sobrevivência e melhoria da qualidade de vida. Um atendimento personalizado para cada paciente é a chave para o sucesso do tratamento.

assessoria

Deixe uma resposta