CET pede que acionem o 1188 para corrigir problemas

Semáforos apagados em dia de chuva complicam ainda mais o tráfego.

Não foram poucas as vezes que o vereador Adilson Amadeu criticou o funcionamento da CET. Em 2011 protocolou um pedido de CPI para fazer um Raios-X da empresa que “arrecada muito, mas não garante um bom serviço”, como costuma dizer o líder do PTB na Câmara Municipal de São Paulo. A comissão nunca teve o apoio necessário dos outros vereadores, mas a verdade começa a aparecer.

                   Na reunião da Comissão de Trânsito e Transporte com o secretário Sérgio Avelleda, o presidente da companhia João Octaviano Machado Neto esteve presente e tratou das dificuldades da empresa.
                  Segundo o presidente da CET, 150 veículos da companhia  passarão por revisão através de uma parceria com as próprias montadoras.  No caso dos 4 grandes guinchos, usados especialmente para remoção de caminhões, um está completamente perdido. Não pode ser recuperado.  Hoje o socorro demora em média 12 minutos, mas a meta é baixar o índice rapidamente. Qualquer paralisação em grandes vias acaba provocando efeito cascata e trava tudo. Novas motos deverão entrar em operação também.
                   A situação dos semáforos não é muito diferente. Dos mais de 6 mil equipamentos em operação, a maioria não é monitorada a distância pela central. A presença humana no local é imprescindível para correção do tempo, consertos, etc. A quantidade de equipamentos dotados de no break que garante seu funcionamento na ausência de energia é irrisória, o que compromete ainda mais o tráfego em dias de chuva forte.
              Para garantir a eficiência do trabalho da companhia a atual administração promete investir na melhoria da infraestrutura através de parcerias com empresas e com a própria população. É importante que, diante de qualquer problema, o cidadão acione a CET através do 1188. Ficou claro que nem sempre a empresa consegue ver tudo o que acontece nas ruas.
                Para o vereador Adilson Amadeu, assumir que a empresa tem problemas é um primeiro passo para corrigi-los,  mas ele continua de olho nas ações da CET e nos mais de 2 milhões de veículos que circulam irregularmente pela cidade sem pagar IPVA, DPVAT, multas e certamente não devem passar também pelas manutenções devidas.

assessoria

Deixe uma resposta